DEXA

 

 

 

 

 

 

Avaliação da composição corporal por dupla emissão de Raios-x (DEXA)

 

A utilização do método de densitometria por dupla emissão de raios-X (DEXA) na avaliação da composição corporal, permite a medida tanto da massa óssea quanto do conteúdo corporal de gordura e massa magra. 

A densitometria por DEXA do corpo inteiro é o único método que avalia diretamente todos os compartimentos corporais (massa óssea, massa muscular e água, massa gordurosa), sem inferir dados a partir da medida de apenas um compartimento. No exame da composição corporal por DEXA , a água corporal está incorporada ao compartimento de massa magra (músculos), não afetando a medida do conteúdo de gordura ou de tecido ósseo. 

Existem inúmeras aplicações clínicas do estudo da composição corporal, particularmente na Medicina Esportiva, Obesidade, Anorexia, reabilitação motora de doenças neuro-musculares e em avaliações nutricionais. Outras aplicações incluem a monitorização das alterações de massa magra e de gordura esperadas nos pacientes em uso de hormônio de crescimento, corticosteróides,  esteróides sexuais e nos transplantados em uso de imunosupressores.

Uma vantagem adicional da Densitometria por DEXA é a determinação da composição regional, permitindo o estudo particularizado de braços, pernas, tronco e abdômen. A adiposidade abdominal, que está relacionada à resistência insulínica, dislipemia e hipertensão arterial,  representa um risco adicional para doença cardio-vascular e diabetes.

O exame, por ser não-invasivo, é muito simples para o paciente, não requer nenhum preparo e tem duração de 20min . A radiação é extremamente baixa, semelhante à radiação ambiental que recebemos num dia de sol,  podendo ser repetido quantas vezes for necessário.  O exame é particularmente útil em crianças pela praticidade e fornece uma ótima avaliação da aquisição de massa óssea.

A clínica Santa Ana dispõe de um aparelho de DEXA de última geração, o que permite uma avaliação fidedigna da composição corporal de nossos pacientes.

Referências Bibliográficas

1. Ellis KJ. 2000 Human body composition: in vivo methods. Physiol Rev 80: 650-671
2. Hoffer EC, Meador CK, Simpson DC. 1969 Correlation of whole-body impedance with total body water volume. J Appl Physiol 27: 531-534.
3.  Kiebzak GM, LeamybLJ, Pierson LM, Nord RH, Zhang ZY. 2000 Measurement  precision of body composition variables using the Lunar DPX-L densitometer. J Clin Densitometry 3: 35-41.
4. Lukaski HC, Marcello MJ, Hall CB, Schafer DM, Siders WA. 1999 Soft tissue composition of pigs measured with dual x-ray absorptionmetry comparison with chemical analysis and effects of carcass thickness. Nutrition 15: 697-703.

.